Blog sobre futebol, voltado para as mulheres

Posts marcados ‘jogadores’

Jogador + Técnico + Torcida = Futebol

O que esperar de uma partida de futebol? Tah bom, seu time jogando bem e fazendo gols, ok sempre esperamos isto, mas pra chegar à este resultado, temos que contar com os jogadores, técnico e a torcida, tudo isto em sincronia e durante 90 minutos (sem contar os acréscimos).

  • Os jogadores precisam estar entrosados, seguir as ordens do professor e darem o melhor de si em campo.

  • O técnico é o grande professor, planeja e coordena o time.

  • A torcida incentiva o time; grita, pula e apóia. 

Estes três quesitos são essenciais para o futebol arte, um depende do outro. E unidos podem fazer a diferença no resultado da partida.

Principalmente em uma partida, onde tudo pode acontecer. É bom estar atento à todos os lances (novidades) que diz respeito ao seu time.

Podemos destacar os lances polêmicos, como pênalti por exemplo. Se não for bem marcado pelo juiz acaba se tornando assunto por um bom tempo e quem perde com isto é a mãe do juiz. A torcida xinga mesmo.

Nesta quarta-feira teremos a Seleção Brasileira em campo e com certeza veremos estes quesitos no estádio Khalifa no Qatar, grandes jogadores como Ronaldinho Gaúcho, o técnico Mano e uma torcida incrível vestida de verde e amarelo.

Apesar de ser apenas um amistoso esperamos muito da seleção, esperamos ver o espetáculo (torcida) e a arte do futebol (técnico e jogador) no gramado.

@futesalto

Divino, Ademir da Guia.

Um jogador que atuava com classe e habilidade! É assim que começo o post sobre Ademir da Guia. Muitas pessoas acham que o maior ídolo do Palmeiras é o goleiro Marcos, concordo que o goleiro é um dos ídolos Palmeirenses e que já teve momentos decisivos com o clube, mais tenho certeza que o maior ídolo de toda a historia do time é, o “Divino” que vestiu a camisa por mais ou menos 16 anos, e não é a toa que tem um busto de bronze nos jardins do estádio Palestra Itália.

Vamos relembrar os momentos mais marcantes da historia desse grande craque.

Os torcedores do Palmeiras só são capazes de ser unânimes em duas coisas na vida: o ódio ao Corinthians e no amor ao jogador que conquistou diversos títulos para time.

Ademir da Guia é filho do zagueiro brasileiro Domingos da Guia, chamado de “O Divino Mestre”, considerado um dos maiores zagueiros do futebol brasileiro. O clube que revelou o jogador foi o Bangu-RJ e em 1961 veio para a cidade de São Paulo jogar pelo Palmeiras.

Com Ademir da Guia e outros jogadores começava a ser formada a maior equipe da história do Palmeiras. A “Academia”, (apelido que foi dado às equipes que marcaram o clube nas décadas de 1960 e 1970). Como maestro, Ademir regia o meio campo ao lado de seu grande amigo Dudu. Costumava-se dizer que Ademir da Guia não corria em campo, mas desfilava tal era a elegância de suas passadas.

Os brasileiros falam bastante da era Pelé, mais o que poucos lembram é que em meio a essa “Era”, só o Palmeiras de Ademir conseguia beliscar títulos. Foi assim em 1963 e 1966. Quando o Santos perdeu fôlego, o Palmeiras se tornou o melhor time do Brasil.

Seu ápice ocorreu em 1972 onde conquistou diversos títulos pelo Verdão. Foi campeão Brasileiro e no mesmo ano eleito o melhor jogador da competição.

Em 16 anos, foram inúmeros títulos. Entre os mais importantes, 5 vezes campeão paulista (1963, 66, 72, 74 e 76), 2 vezes campeão do Robertăo (1967, 69), campeão da Taça Brasil (1967), Torneio Rio São Paulo (1965) 2 Campeonatos Brasileiros (1972 e 73).
Habilidoso, inteligente, possuía a virtude de manter a calma e a serenidade nas horas difíceis. Seu toque de bola era refinado e seu arremate preciso, embora preferisse dar a assistência em vez de fazer o gol.

Apesar de um enorme talento e diversas qualidades o jogador não teve grandes atuações pela Seleção Brasileira, atuou apenas 12 vezes. Quem presenciou seu estilo de jogar e hoje vê a atual seleção não acredita que um jogador de tal nível foi pouco aproveitado. Sua primeira chance apareceu apenas em 1965. Sob o comando de Vicente Feola, foi titular da seleção em 3 partidas amistosas (vitórias de 5 a 1 sobre a Bélgica e 2 a 1 sobre a Alemanha e empate em 0 a 0 contra a Argentina). Na Copa de 74, apesar de estar no auge de sua forma física e técnica, mesmo aos 33 anos, não ficou nem no banco de reservas em todas as partidas-exceto na disputa do terceiro lugar contra a Polônia. Apesar de não ter uma historia com a seleção Ademir garante que não é frustrado por não ter tido muitas chances e garante que isso fez com que ele se aprimorasse mais, a cada dia.

Ademir da Guia é o recordista de partidas com a camisa alviverde, com 901 jogos entre 1961 e 1977, e considerado por muitos o maior jogador da história do clube do Parque Antártica. Nos 16 anos em que vestiu a camisa 10 da equipe, o meio-campista marcou 153 gols – é o 3 maior goleador da história Palmeirense, atrás apenas de Heitor (284) e César Maluco (180).

Porem o destino não reservou uma despedida alegre para Ademir, seu último jogo foi uma derrota por 2 a 1 contra o Corinthians em novembro de 1977. Ademir só jogou meio tempo, pois já se encontrava com problemas respiratórios. Saiu no intervalo e nunca mais voltou. A despedida oficial, no entanto, ocorreu 7 anos depois, em 23 de janeiro de 1984, em um jogo com amigos.

Hoje, dá aulas em escolinhas de futebol. Mantém o mesmo estilo que os torcedores do Palmeiras conhecem muito bem.

Para aqueles que desejam saber mais da historia do jogador fica aqui uma dica: O jornalista Kleber Mazziero de Souza, que escreveu sua biografia intitulada “Divino – A vida e a arte de Ademir da Guia”.

Deixe seu comentário! Dúvidas, críticas ou sugestões enviem  para o email: futesalto@gmail.com ou mande um twit para @futesalto

@karoldayane

Alegria do Povo “Mané Garrincha”

Com seu estilo original de jogar, com seus dribles abusados e com suas jogadas divertidas ele conseguiu escrever seu nome na história do futebol brasileiro. Vamos falar um pouco da Manoel Francisco dos Santos, o famoso Garrincha.Quem gostaria de ficar famoso por ter as pernas tortas?Ele tinha uma diferença de 6 cm que separava seus joelhos. Hoje em dia com a vaidade no auge é difícil imaginar, mais isso não o incomodava. Seu estilo de jogar era irreverente e por diversas vezes voltava a driblar o jogador oponente, no mesmo lance, ainda que desnecessariamente, só pela brincadeira em si.

Sua carreira no mundo futebolístico começou no time amador, Pau Grande Esporte Clube, não teve chance de jogar logo porque, além da sua pouca idade, o técnico Carlos Pinto temia expor o garoto aos fortes zagueiros dos times adversários, por este motivo transferiu-se para o Serrano.

Depois de algum tempo, Garrincha foi tentar a sorte em algum clube da capital. Procurou o Flamengo, o Fluminense e o Vasco, mas com suas pernas tortas, não lhe deram atenção, após isso foi convidado para fazer um teste no Botafogo, seu teste encantou o treinador da época que era Carlos Pinto. No primeiro treino deixou Nilton Santos completamente louco quando jogou uma bola por entre as suas pernas e deu outros dribles incríveis. Ao término do treino o próprio Nilton Santos recomendou aos dirigentes a contratação do jogador. Eis que surge na década de 50 no Botafogo, um jovem de pernas tortas que gostava de caçar passarinhos e que fez parte do melhor time do Botafogo de todos os tempos, que contava com Zagalo, Didi, Amarildo e Nilton Santos, entre outros.

Os dribles de Garrincha levaram o Botafogo ao Título Carioca em 57 na vitória de 6 x 2 sobre o Fluminense, o Botafogo chegou ao bicampeonato carioca de 1961 e 1962.

Na maior parte de sua carreira Garrincha defendeu o Botafogo (no período de 1953-1965). Sua passagem pelo Botafogo foi gloriosa, marcou cerca de 242 gols em 614 jogos, tornando-se o terceiro maior artilheiro do clube em todos os tempos.

Defendeu a Seleção Brasileira entre 1955 e 1966, encantou a todos em 3 Copas do Mundo: da Suécia (1958) e do Chile (1962), das quais o Brasil foi campeão, e da Inglaterra (1966). Com Garrincha, o Brasil obteve 52 vitórias e sete empates. Com Garrincha e Pelé jogando ao mesmo tempo, passou a ser chamado de Alegria do Povo.

No final da carreira, jogou também no Corinthians, no Flamengo, no Olaria e em outros times brasileiros e estrangeiros. Tentou uma volta ao Botafogo de Zagalo, mas não deu certo. Em 19 de dezembro de 1973, foi realizado um jogo de gratidão para Garrincha, o Maracanã ficou lotado.

Em 1998, foi escolhido para a seleção de todos os tempos da Fifa, em eleição que contou com votos de jornalistas do mundo inteiro.

Mais a vida do craque não era apenas futebol Garrincha gostava muito de farrear. Beber era um dos seus vícios, além de mulheres. Uma artrose nos dois joelhos – uma espécie de desgaste entre o fêmur e a tíbia – acabou com a magia de Mané. Os dribles geniais exigiam muito dos joelhos. E a dor vinha a cada freada ou giro em cima do adversário.

Garrincha viveu seus últimos anos de vida marcados por uma série de episódios trágicos, tentativas de suicídio, acidentes de automóvel e dezenas de internações por alcoolismo… Levava uma vida simples, humilde e abandonado. O adeus veio aos 49 anos, depois de três casamentos e 13 filhos. Garrincha deixava um Brasil saudoso de seus espetáculos em campo. Morria a alegria do povo em 20 de janeiro de 1983 vítima de problemas generalizados causados pelo excessivo consumo de álcool. Para finalizar o Post deixo a vocês o que Carlos Drummond de Andrade escreveu sobre o gênio Mané Garrincha.

“Se há um Deus que regula o futebol, esse Deus é, sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios. Mas, como é também um Deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho.”


Deixe seu comentário! Dúvidas, críticas ou sugestões enviem  para o email: futesalto@gmail.com ou mande um twit para @futesalto

@karoldayane

Um artilheiro diferente: Rogério Ceni o Goleiro Matador.

Na semana passada vimos o post sobre o maior artilheiro de todas as edições do Campeonato Brasileiro. Bom, vou continuar falando dos maiores, porém dessa vez não será um atacante ou um meio campista e sim, um goleiro! Isso mesmo. Vamos saber um pouco mais da trajetória do goleiro artilheiro, Rogério Ceni.

Quando falamos de goleiro a primeira coisa que vem na mente é evitar gols, a final essa é sua missão dentro de campo. Porém, alguns provaram que também podem fazer a alegria de seus torcedores marcando gols. É assim com Rogério Ceni.

Ele iniciou sua carreira jogando Vôlei, mais isso não vem ao caso. Entrou para o mundo do futebol em 1990 pelo Sinop (MT) e no dia 07/09 do mesmo ano foi contratado pelo São Paulo Futebol Clube.

No tricolor Paulista jogou no Juniores e na reserva ganhou alguns títulos, só virou titular em 1997 com a saída de Zetti (o goleiro titular foi para o Santos).

Desde então tem uma historia de dar inveja a muitos jogadores, sua trajetória pelo São Paulo é marcada por grandes conquistas, e não é a toa que o goleiro é o maior ídolo do Tricolor.

O goleiro quebrou diversos recordes, como por exemplo, o jogador que mais jogou partidas pelo campeonato Brasileiro, porem hoje vamos falar apenas sobre gols “prós”.

O jogador de 37 anos lidera o ranking da Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS), com 89 gols (oficiais) e 2 (em amistosos), quais a Fifa não reconhece.

Embora, atualmente seja o mais famoso dos goleiros-artilheiros, Rogério não é o único. O segundo colocado é paraguaio José Luis Félix Chilavert, que se aposentou com 62 gols na carreira, René Higuita (Colômbia) e Jorge Campos (México), vêm logo a seguir, com 41 e 40 gols, ambos não jogam mais.

Algumas Curiosidades

 

Rogério balançou as redes tanto de seu ex-companheiro no São Paulo, Zetti, quando este jogava no Santos, marcou também em seu ex-reserva, Roger, quando o mesmo estava na Portuguesa em 2000; O reserva Bosco também não escapou, quando este estava também na Portuguesa, em 2002.

O Palmeiras é o time que Rogério mais fez gols (7) (em 2002, pelo Torneio Rio São Paulo marcou um gol de falta sem chances para São Marcos), seguido pelo Cruzeiro e Vasco (5).

O ano de 2005 foi o que mais balançou as redes, com 21 gols, mesmo ano em que o time foi Tricampeão da Libertadores e Tricampeão Mundial, sendo o último gol na semifinal do Mundial de Clubes, contra o Al-Ittihad.

Em 5 jogos o Goleiro chegou a marcar 2 vezes pelo time, sendo um dos jogos pela Libertadores da América, contra o Tigres, onde o São Paulo venceu a partida por 4X0. O Goleiro é o artilheiro do time na competição com 11 gols.

Em todas as partidas em que ele marcou no mínimo um gol, o time do Morumbi só foi derrotado 2 vezes, Rogério e o São Paulo contam com 65 vitórias, 18 empates e 2 derrotas.

É recordista de minutos sem tomar gols no Campeonato Brasileiro (988).

Já está no São Paulo há 20 anos, para se ter uma idéia do tempo, o atacante Neymar que já até fez gol em Rogério nem era nascido.

Quando entrou para o time o São Paulo, que hoje é Hexacampeão Brasileiro o time na época era apenas Bicampeão e ainda não tinha conquistado a América e o Mundo.

Hoje completa 700 jogos como capitão do São Paulo.

Quando se trata de Rogério Ceni até os torcedores de outros clubes admitem o goleiro é um mito debaixo das traves. Uma máquina de conquistar títulos e quebrar recordes. O que todos agora querem saber é: Rogério vai chegar ao 100 gols?

E vocês o que acham?

Deixe seu comentário! Dúvida,s críticas ou sugestões enviem  para o email: futesalto@gmail.com ou mande um twit para @futesalto

@karoldayane

Que Clássico!

Sete gols, em um clássico de tirar o fôlego. Foi assim o jogo entre São Paulo e Santos ontem no Morumbi.

Um jogo com tantos gols só podia ter uma escalação ofensiva dos times. Ao entrarem em campo os torcedores perceberam 7 atacantes. O Tricolor Paulista entrou com, 4 homens ofensivos Lucas, Fernandinho, Dagoberto e Ricardo Oliveira, o Peixe veio com 3 escalados, Alan Patrick, Neymar e Zé Eduardo. Por sinal tivemos 7 gols na partida.

O Santos abriu o placar aos 3 minutos, após falha do goleiro Rogério Ceni que rebateu a bola nos pés de Alan Patrick (só teve o trabalho de empurrar para a rede). Mais quem achou que o São Paulo desistiria fácil enganou-se, pois aos 6 minutos Dagoberto empatou depois da cobrança de escanteio. O torcedor São Paulino viu um time eletrizante e empolgante, que quando movimentava seus 4 homens deixava a defesa do Santos desesperada.  Por outro lado a defesa deixou um pouco a desejar, pois ao sair para o ataque o time deixava um buraco na zaga, o que levava os Santistas com facilidade a área do Tricolor, desequilíbrio que deixou Arouca e Danilo livre para dar apoio ao Peixe. Mesmo após levar 2 gols ( mais 1 do Dagoberto e outro contra marcado pelo jogador Pará) o Santos não desanimou, com o Morumbi em delírios, que tinha um publico pagante de 23.791 mil torcedores o Peixe consegui empatar o jogo. Depois da saída de bola Pará se redimiu do gol contra, driblou Alex Silva e tocou na medida para Zé Eduardo marcar o segundo gol do Peixe. O empate do Santos só não aconteceu aos 45 do 1º tempo devido a Grande defesa de Rogério.

Dagoberto comemorando gol Tricolor.

No segundo tempo, Carpegiane mudou o tricolor, colocou Renato Silva para ficar na Lateral e Jean foi jogar ao lado de Carlinhos Paraíba e Rodrigo Souto, alteração que melhorou o time. Com 13 minutos Richarlyson recebeu o 2º cartão amarelo e foi expulso. Isso fez que o técnico do Santos Marcelo Martelotte, armasse o time de outra forma, explorando o homem a menos do Tricolor. O empate veio aos 26 min do 2º tempo, após cobrança de pênalti Neymar empata a partida.

Um empate estaria bom, visto o que os 2 times jogaram muito. Mas como os torcedores São-paulinos costumavam dizer em outros tempos o Jason recuperou-se e mesmo com apenas 10 jogadores virou o placar aos 48 minutos do 2º tempo com gol de Jean.

Alem de manter a chama de uma vaga pela Libertadores acesa nos corações São-Paulinos ( o time ainda tem esperanças de entrar para o G3), a vitória do clássico deu ao time confiança e a nona posição do campeonato, o time ultrapassou o Palmeiras que só empatou na rodada.

Só posso dizer que foram 90 min bem jogados e que teve de tudo, pênalti, grandes defesas, bolas na trave e ainda 7 gols. Com isso o Tricolor quer mostrar que melhorou após a contratação de Carpegiane e que durante essas 8 rodadas para o termino do Brasileirão fará de tudo para conseguir a tão famosa e tão sonhada vaga para a Libertadores.

E vocês acham que o São Paulo ainda tem chances? O que acharam do Clássico? Deixe seu comentário

Qualquer dúvida, crítica ou sugestão para o email: futesalto@gmail.com ou mande um twit para @futesalto

@karoldayane

Ele é o Cara!

O contrato dele encerra-se apenas no final de 2011, mas assim como os torcedores gremistas eu também quero que Jonas permaneça no Brasil, afinal o seu bom futebol merece ser apreciado por mais tempo.

Que o garoto esta fazendo história no Olímpico não se pode negar, artilheiro disparado do Campeonato Brasileiro com 19 gols, ele consagrou-se como o maior artilheiro do time em campeonatos Brasileiros, além disso, esta apenas 3 gols de se tornar o 5º maior goleador do time, e a 7 de ser o jogador que mais marcou gols em um só ano pelo time (recorde é do jogador Jardel que em 1995 marcou 46 gols).

O jogador fugiu a regra de craques, ao invés de começar cedo Jonas só deu inicio a sua carreira profissional aos 20 anos, antes o belo atacante fazia curso de Farmácia. Começou sua carreira pelo Guarani em 2005 e naquele ano foi artilheiro da série B. Chegou a ser contratado pelo Santos, porém uma lesão o deixou fora de campo por 6 meses. Quando chegou ao Grêmio não conseguiu ser titular e foi emprestado para a Portuguesa. Em 2009 voltou para o Olímpico e uma falha o fez ser chamado de o pior atacante do mundo, não da para acreditar! Isso aconteceu na Libertadores, contra o Boyacá Chicó, o camisa 9 do Grêmio perdeu um gol incrível (sem goleiro). Isso com certeza já é passado, hoje o jogador é conhecido como o artilheiro do principal campeonato nacional, artilheiro disparado, pois o 2º colocado Bruno César do Corinthians tem 8 gols a menos que o gremista.

Sem dúvida nenhuma o artilheiro ajudou o Grêmio a subir boas posições no Brasileirão, pois o time saiu da zona de rebaixamento para a 8ª posição, além disso, é dono da melhor campanha no segundo turno. Por esse e outros motivos a Diretoria do Grêmio já pensa no que fazer para renovar o contrato do artilheiro, uma das suas metas do clube para o biênio é não vender o jogador.

O ex-jogador e atual técnico do Time Renato Gaúcho diz não se importar em ser ultrapassado pelo atacante Jonas, que já tem 71 gols com a camisa do time, afirma ainda que se ele o ultrapassar, garante o seu emprego. (Renato marcou 74 gols com a camisa do Grêmio)

Fica então varias expectativas em torno de Jonas, espero que ele consiga ultrapassar todos esses recordes mencionados e que a diretoria do Grêmio possa segurar o artilheiro por mais tempo no Brasil, afinal todos merecem ver o show de bola desse garoto de 26 anos!

E vocês, o que acham de Jonas? Ele permanece no Brasil? Merece ser eleito o melhor jogador do Brasileirão?

Faltou algo? Duvidas? Deixem seus comentários! Sugestões envie para o nosso email  futesalto@gmail.com ou se preferir mande-nos um twit @Futesalto

@karoldayane

Cabelos normais são para os fracos!

Como vimos no post da Daiane Reginato, segundo ela há motivos para assistir futebol mesmo que o jogo não seja lá essas coisas. Eu concordo, só que não pelo mesmo motivo que ela (rs) e sim pelos cabelos não convencionais e muitas vezes bizarro e para mostrar isto selecionei alguns penteados que fogem do comum ( tanto no futebol como no dia-a-dia).

Djibril Cissé

Atacante francês, atualmente defende o Panathinaikos da Grécia. O corte de cabelo lembra o do ator americano Mister T, que fez a série  “Esquadrãop Classe A” que atualmente ganhou um filme.

Gervinho

Meia-atacante da Costa do Marfim, atualmente defende o Lille da França. Bem eu tentaria descrever isto, mas não estou certo se é bem um corte de cabelo ou calvície, no entanto, não há muito o que comentar também né?

Carlitos Tevez

Atacante dos nossos desafetuosos vizinhos os argentinos, atualmente atua pelo Manchester City da Inglaterra. Neste caso eu até concordo com a escolha do penteado, uma vez que o rosto dele é muito feio, deixar o cabelo crescer para esconde-lo parece ser a melhor ideia, já que ainda não seja possível fazer igual ao filme ” A outra face” e fazer transplante de rosto.

Ronaldo ( Fenómeno )

Atacante brasileiro, atualmente defente o Corinthians. Jogador que adotou durante praticamente toda a carreira o estilo “careca”, em alguns momentos experimento, mais o pentedeado que lhe rendeu piadas ( e por incrível que pareça “seguidores” do estilo ) foi o estilo à la Casção.

Taribo West

Zagueiro nigeriano, atualmente está aposentado. Simplesmente BIZARRO, que raios ele queria fazer com o cabelo??? Tava parecendo uma meninnha de 2 anos que as mães prendem o pouco cabelo com 2 chuquinhas.

Abel Xavier

Zaqueiro português, atualmente está sem clube (não sei se é por causa do cabelo). Com uma pegada parecida em alguns aspectos com o Djibril Cissé, mas um pouco mais rebelde, cabelos despenteados e até um estilo emo.

Valderrama

Ex meio-campista e capitão da seleção da Colômbia. É praticamente um Biro Biro da Colômbia, ao contrário da maioria dos jogadores anteriores o “estilo capilar” Valderrama fez muito sucesso, foi uma febre.

E ae conhecem mais algum outro penteado totalmente FREAK? Deixe nos comentários e eu posso coloca-lo aqui.

E não esqueçam de nos seguir:

@futesalto

@tiagosemh

Nuvem de tags